A não princesa

Sou uma gaja “não princesa”. Uso, na boa, as mesmas calças uma semana seguida, com a particularidade de que mesmo após essa semana volto a vestir umas calças iguais. De preferência pretas. No inverno pretas. Sempre calças pretas.

Todos os meses sou capaz de pensar: “Vou mudar”. — Faço uma limpeza de pele, uso mais de 3 merdas diferentes para esse efeito (“limpar?!”). Acho que é um esfoliante (só o nome mete medo), um leite de limpeza, um tónico e quase que posso jurar que me estou a esquecer de algum… Depois há o creme de noite. Podem acreditar: tenho um creme de dia e um creme de noite. Sei que parece mentira. Até a mim ainda me parece. Nunca sonhei que isto pudesse vir a acontecer. Eu. Euzinha! Tenho um creme de dia e outro para a noite. And believe it or not… São da mesma marca. Mesma gama. Tipo conjunto (a sé—ri—o). E o melhor de tudo é que estes cremezinhos devem durar até eu ser bisavó (pela quantidade astronómica de vezes que eu os uso). Ah! E ainda há o creme de olhos que eu ainda nao tenho. Pois. How is it possible? Eu até curto bue de comprar cenas destas. Enfim… Estava a contar que todos os meses tenho este sonho de “mudar”, prometo a mim mesma e até parece que é verdade. Sabem, cuidar mais de mim e isso… Mas eu faço isso 1 (UMA) noite SÓ. Na noite ou melhor, na manhã seguinte, lavar os dentes já custa porque tem estado um frio do caraças. E à noite… “ontém devia estar maluca” perder tempo (bué tempo) em que podia — e posso 🙂 — estar no sofá a comer bolachas e a ver “uma família muito moderna”. ~ Who cares?

Durante uma semana… ou melhor dois fins de semana seguidos, do tipo: este fim de semana sim,  durante a semana não, o próximo fim de semana sim. Uso base, blush, rímel e baton. E perfume! E, sei lá, sinto—me A MAIOR! Não de gira, mas sim de heroína. É que yah! Tenho dois filhos e depois até parece que nem combina muito bem mãe com uma mulher assim que tem tempo para essas coisas (estou a gozar, claro!). Ás vezes parece que uma pessoa se sente mais chique assim arranjada e pintalgada. Deve ser por isso, que tempo para tanta coisa, só quase para malta da realeza. Mas eu confesso, eu até tenho tempo. Tenho é mais preguiça ainda do que tempo. Ah e isto tudo só para ir ali ao café que fica a 200 metros e voltar para casa. «Like a BOSS»

Vario bastante nos casacos. Acho que tenho mais casacos do que camisolas! Assim por alto, uns 6 casacos (uau). Daqueles que fecham dos joelhos até ao queixo. E porquê? Eu explico. Debaixo do casaco não se vê. Verdade ou mentira? Até posso levar o meu pijama-quentinho-polar-com-a-cara-de-um-panda. E nunca ninguém irá desconfiar. Só penso que isto pode correr mal se um dia eu for atropelada ou assim. Mas é pouco provável. E mesmo que isso pudesse eventualmente acontecer acho que até chegar ao hospital talvez ninguém se preocupasse com a minha temperatura corporal e me despisse o casaco (e mesmo assim também era preciso eu já estar em coma para deixar) – et voilá: Aposto que lá ninguém ia reparar no meu pijama porque pijama de hospital também não caminha para o lado do sexy.

Uma vez por ano também me dá outra pancada: cortar o cabelo! E vou e corto e arrependo—me. Seeempreee!!! Mas é outro acto de tentar provar às pessoas que consigo!

Adoro estar no sofá. O meu sitio preferido no mundo inteiro. Também gosto de ir ao lidl. Adoro. Adoro ir às promotions. E aqueles corredores sempre cheios de novidades de que ninguém precisa – uma tentação – são a oitava maravilha do mundo. Acho que me faz lembrar as feiras. Como eu gostava de feiras quando era criança. Agora? Casa. Sair de casa é uma chatice.

Já tive o meu dia de sim princesa. Sou casada com o nerd mais giro do planeta. Não… não usa óculos. É todo jeitoso. Homens com óculos também gosto (de ver), mas ele não usa mesmo. Usa piercings e tatuagens. E enquanto eu estou aqui com estas tretas ele está a jogar computador (enquanto não partir o teclado). Está concentradíssimo. É um falso nerd. Parece que é algo assim secreto. Eu se o visse na rua sem o conhecer nunca iria dizer que ele gostava era de estar em casa a jogar computador. Até que manda um certo charme estar ali a lutar entre a vida e a morte. Bem, continuando, aqui a não princesa casou com um vestidinho da zara de 20 e poucos euros. E estava mais que princesa.

Bem, isto só para explicar a razão do nome que dei ao blog. O primeiro que pensei foi “Blog de uma Neurótica”. Mas depois achei um bocado hardcore começar logo assim. Só por isso. Porque neurótica sou mesmo.

Não sei se há mais por ai, neste planeta. Mas acredito que sim. Que não faltam mulheres não princesas. Mas não é fácil admitir. É tipo admitirmos que também não somos boas donas de casa, ou que não sabemos cozinhar. Pois, eu também não disse que era perfeita!

Isto é apenas uma tentativa  de iniciar uma espécie de apresentação.  Logo continuo. Que estar aqui armada em Saramaga também cansa.

Espero “usar” este blog… mais do que creme hidratante.